Seu Dog

Seu cachorro é um pouco estranho?

Você já se perguntou por que seu peludo faz isso ou aquilo? E quando ‘isso’ é algo estranho como comer cocô, você consegue resolver isso? E tudo é realmente um problema? Entenda melhor seu bug.
1. Coma grama

Este comportamento é ancestral e está associado a desconfortos como náuseas, gases e cãibras – alguns animais até vomitam após o ‘pastejo’ – mas podem estar associados às necessidades nutricionais (consumo de fibras) e ao tédio. Se o animal passa longos períodos no quintal, comer grama pode ser uma maneira divertida de arrumar as coisas. Brinquedos interativos, ossos recreativos e longos passeios cansativos com animais podem evitar que isso se torne um hábito (e você acaba com seu jardim).

2. Coma cocô

A coprofagia pode ter vários motivos: desde imitar a mãe, que come as fezes do bebê para mantê-la limpa, até o medo de ser punida por deixar as caquinhas em lugar inadequado, curiosidade ou deficiência nutricional – o veterinário pode indicar suplementação nesses casos.

3. cavar

O seu jardim ou sofá parece um canteiro de obras de metrô? Cães cavam por diferentes razões, de “vocação racial”, a animais com caçador de DNA, até para conseguir um lugar mais fresco para se deitar (como os lobos), ou para esconder coisas preciosas como ossos e brinquedos. Mudar este hábito requer maior atividade física (cão cansado = dono feliz) e treinamento de obediência.

4. Arraste o fundo no chão

Pode parecer engraçado (ou até mesmo repugnante), mas o comportamento indica que há algo que irrita o ânus do seu cão, desde pinworms que atravessaram o trato digestivo até alergias à tosse, inflamação nas glândulas e vermes anais. Se isso começar a ocorrer com freqüência, a buceta precisa de ajuda do veterinário.

5. Correndo atrás da cauda

Correr atrás da cauda pode ser apenas uma piada, especialmente entre os filhotes, mas se tornar uma rotina merece investigação, especialmente se o animal for mais velho – o comportamento pode sinalizar distúrbios neurológicos, como disfunção cognitiva (semelhante à Alzheimer), causando um formigamento na cauda. a cauda ou as extremidades das patas traseiras, fazendo com que o animal busque sua cauda incessantemente.

6. Pressione a cabeça

Se você observar seu cão pressionando a cabeça contra a parede ou outro objeto firme, é necessário que ele tenha atenção imediata. A pressão da cabeça é um sinal comum de vários problemas sérios, como envenenamento tóxico ou doença cerebral. Corra para o veterinário imediatamente!

7. Morder

Morder é uma maneira de descobrir o mundo e aliviar a coceira da gengiva na troca de dentes, mas o filhote deve aprender desde cedo que não pode fazer disso um hábito. Quando o pequeno enlutado ataca seus pés e mãos sem piedade, segure o queixo com o dedo indicador e pressione o polegar na língua do animal com firmeza, mas sem ferir, repetindo o comando ‘não’.

Em animais adultos, é necessário identificar o que desencadeia as mordidas, de ansiedade, medo ou agressão. Em muitos casos, o apoio de um especialista em comportamento animal é importante.

8. Xixi fora de lugar

Cada filhote tem tempo para aprender a fazer as coisas no lugar certo, e vale lembrar que, mesmo com boa vontade, alguns erros podem acontecer até cerca de sete meses, quando os músculos do esfíncter anal e o esfíncter uretral estão totalmente fortalecido. Se o animal não é castrado, pode começar a marcar território na adolescência e na idade adulta, urinando pela casa. Mas se esse cão perfeito e educado mudar de repente seus hábitos, pode ser um sinal de infecção do trato urinário, da bexiga ou dos rins e, em cães mais velhos, até mesmo um sinal de demência.

Deixe um comentário